SAÚDE

 

Consideramos que durante o mandato do actual Governo o sistema nacional de saúde foi bastante penalizado.

O SNS deve ser público, mas tem de cumprir a Constituição da República Portuguesa, sendo o seu acesso tendencialmente gratuito para todos.

Desta forma, apresentamos os seguintes objectivos:

  • Pagamento da baixa médica a 100% para os doentes oncológicos e outros em situações similares ou com doenças raras.
  • Garantir a sustentabilidade da ADSE e diminuir o valor pago pelos aderentes.
  • Possibilidade de todos os portugueses aderirem à ADSE ou criar um Seguro Social Voluntário adicional com as mesmas características.
  • Melhorar as condições salariais e de trabalho de todos os profissionais de saúde.
  • Obrigação de, no mínimo, um enfermeiro por cada Lar de Idosos, 24 horas por dia.
  • Lares dignos e projetados e sustentados a nível camarário para a sua população tendo em conta taxa de envelhecimento e contribuição individual do possível utente durante os anos de sua vida através de taxas impostos e investimentos na localidade.
  • Reformar a organização interna dos hospitais e o seu modelo de gestão.
  • Criar condições para que o pessoal médico permaneça no interior do país e nas novas Unidades de Saúde Familiar para que todos os portugueses tenham acesso a um médico de família.
  • Revogação das taxas moderadoras.
  • Integração de todos os profissionais com contratos individuais de trabalho em contratos de funções públicas.
  • Aumentar o financiamento atribuído à despesa pública em saúde.
  • O PDR reconhece as vantagens das medicinas alternativas para a saúde, como medicinas complementares. Assim, o PDR propõe introdução destas medicinas no serviço nacional de saúde, como por exemplo, a Osteopatia e da Medicina Tradicional Chinesa, como acontece por exemplo, na Inglaterra.